o

que é

biologia da construção.

                   BIOLOGIA-DA-CONSTRUÇÃO              

"Princípios da arquitetura sustentável, saudável e biológica em projetos".

Biologia da Construção
Biologia da Construção

press to zoom
Biologia da Construção
Biologia da Construção

press to zoom
1/1
Biologia da Construção
Biologia da Construção

press to zoom
Biologia da Construção
Biologia da Construção

press to zoom
1/1
Biologia da Construção
Biologia da Construção

press to zoom
Biologia da Construção
Biologia da Construção

press to zoom
1/1

Biologia das Construções

13/02/1998

O conceito de Biologia das Construções – baubiologie nasceu na Alemanha como resposta aos problemas associados ao abuso do uso do concreto armado e materiais sintéticos, ligados a uma arquitetura fria e impessoal, que afasta seus usuários dos processos biológicos naturais. É conhecida ainda como a técnica especializada na utilização de sistemas construtivos e materiais com uma qualidade biótica elevada, sem prejudicar o meio ambiente e o ser humano.

 

Dentre os vários conceitos de construções sustentáveis conhecidos atualmente, para a Biologia das Construções toda edificação para ser sustentável, essencialmente, precisa ser saudável. A arquitetura sustentável não deve se preocupar apenas em preservar o meio ambiente, mas também garantir a saúde dos seus ocupantes e sensibilizá-los para um estilo de vida com mais consciência ambiental. Deve harmonizar-se com o clima, a tradição, a cultura e o ambiente na região.

 

Desta forma, pode-se afirmar que uma construção sustentável não pode gerar doenças, como os prédios que acarretam a Síndrome do Edifício Enfermo (SEE).

 

Segundo o IBN (Institut für Baubiologie + Ökologie Neubeuern), os 25 princípios da Biologia das Construções são:Localização natural

  1. O terreno deve ser livre de anomalias naturais e perturbações geobiológicas.

  2. As habitações devem ser afastadas de fontes de emissões e ruído, longe de centros industriais e vias de tráfego intenso.

  3. A urbanização deve ter baixa densidade e amplas áreas verdes.

  4. A edificação deve ser personalizada, em harmonia com a natureza e orientada ao ser humano e à família.

  5. A radiação cósmica e terrestre é essencial e deve sofrer o mínimo possível de alteração.

  6. Reduzir ao mínimo ou, preferencialmente, eliminar a radiação eletromagnética e radiofreqüência produzida pelo homem.

  7. O campo magnético natural da Terra não deve ser alterado.

  8. O equilíbrio natural entre a eletricidade atmosférica e a concentração iônica deve ser mantido.

  9. Luz, iluminação e cores devem estar de acordo com as condições naturais.

  10. A edificação deve ter um odor agradável ou neutro, e nenhuma toxina deve estar presente.

  11. Poluentes devem ser filtrados e neutralizados, minimizando a presença de fungos, bactérias, poeira e alérgenos.

  12. A umidade interna do ar deve ser regulada naturalmente.

  13. A umidade total em uma edificação deve ser baixa e capaz de secar rapidamente.

  14. É necessário um equilíbrio entre isolamento térmico e retenção de calor.

  15. As temperaturas do ar e das superfícies devem ser otimizadas.

  16. As paredes, pisos e tetos devem ser difusíveis e higroscópicos.

  17. Sistemas de aquecimento devem ser baseados em calor radiante, usando o máximo possível de calor solar.

  18. Os materiais de construção devem ser naturais e não adulterados.

  19. Utilizar materiais de construção com pouca ou preferencialmente nenhuma radioatividade.

  20. Medidas de proteção contra poluição sonora e vibrações infra e ultrasônicas devem ser orientadas aos padrões humanos.

  21. O projeto de interiores e mobiliário deve ser projetado de acordo com padrões de ergonomia e design universal.

  22. Devem ser utilizadas medidas, proporções e formas harmônicas.

  23. As atividades de construção não devem contribuir para a exploração de recursos raros e não renováveis.

  24. A produção, utilização e descarte dos materiais de construção não devem contribuir com o aumento da poluição ambiental e altos custos de energia.

  25. As atividades de construção não devem causar um aumento nos custos sociais e médicos.

 

Assim, destaca-se a necessidade da escolha de um terreno onde será construída uma casa ou uma empresa, pois a correta posição desta edificação no seu entorno tem uma grande importância para prevenir futuras enfermidades. Por isso a Biologia das Construções deve atuar de forma integrada com os conceitos da Geobiologia, a fim de levantar as áreas, dentro de um terreno, mais favoráveis à vida, servindo de orientação ao arquiteto para projetar espaços em conformidade com as redes geobiológicas e radiações provenientes do subsolo, como falhas geológicas e veios de água subterrâneos.

 

Existem terrenos homogêneos e terrenos que apresentam grandes anomalias magnéticas, cuja explicação se dá através da presença de minerais ferromagnéticos ou às rupturas ou descontinuidade dos subsolos minerais. Nestes locais geopatogênicos é comum verificar nas edificações gretas ou fissuras nas paredes, além de problemas de umidade ascendente.

 

Quando se trata de residências, o arquiteto deve retratar a casa como um elemento acolhedor, e esta deve atender às imagens arquetípicas do abrigo, condicionantes de uma casa emocionalmente satisfatória. Os arquétipos do abrigo defendido por Jung e Freud são a caverna (necessidade instintiva de refúgio), a clareira (necessidade da abertura, para a luz e para o ar), o jardim (necessidade de se relacionar com a natureza) e a água (elemento essencial à vida).

 

A Arquitetura Sustentável hoje deve reconhecer as raízes instintivas do homem em sua relação com a terra, o céu e os elementos de sua existência material, utilizando a ideia de proporção, harmonia e beleza em seus projetos.

 

Partindo deste conhecimento, o arquiteto pode se dedicar ao projeto arquitetônico e atentar aos materiais a serem utilizados na construção. Deve-se fazer uso de materiais preferencialmente naturais que não dispersem substâncias químicas (COV – Compostos Orgânicos Voláteis) no ambiente, mas também respeitem os limites mínimos de salubridade quanto à toxicidade e radioatividade dos materiais. Sabe-se que os próprios materiais de construção emanam radiações, em magnitudes que vão desde 20/50 milirads/ano da madeira, aos 50/250 milirads/ano em certos tipos de concreto. A Organização Mundial da Saúde (OMS) adverte que a dose máxima de radiação tolerada é de 500 mR/ano, valor este muito próximo quando expostos em uma residência rica em concreto.

 

Assim, um novo conceito de Arquitetura Sustentável deve respeitar a individualidade das pessoas e dos espaços onde pretendem viver ou trabalhar, fugindo do modelo cartesiano empregado pelos arquitetos do séc. XX. Essa arquitetura deve proporcionar uma relação mais sentimental com aqueles que a usufruem, afinal a casa não deve ser vista nunca como uma máquina, e sim como um ser vivo como nós.

 

Referências:

ANAB, Associação Nacional de Arquitetura Sustentável. Princípios da Biologia da Construção. Disponível em: <http://www.anabbrasil.org/principios%20da%20biologia%20da%20constru%C3%A7%C3%A3o/>. Acesso em 26 de agosto de 2012.

BANGS, Herbert. O Retorno da Arquitetura Sagrada: a razão áurea e o fim do modernismo. São Paulo: ed. Pensamento, 2010.

BUENO, Mariano. O Grande Livro da Casa Saudável. São Paulo: ed. Roca, 1995.

BUENO, Mariano. Viver em Casa Saudável: as radiações cosmotelúricas e sua influência nos seres vivos: introdução à Geobiologia. São Paulo: ed. Roca, 1997.

DE LAFFOREST, Roger. Casas que Matam. São Paulo: ed. Global, 1986.

IBN – Institut für Baubiologie + Ökologie. 25 Grundregeln der Baubiologie. Disponível em: <http://www.baubiologie.de/site/institut/grundregeln.php>. Acesso em 15 de junho de 2012.

PIRES, Allan Lopes; SAEZ, Juan. Geobiologia: a arte do bem sentir. São Paulo: ed. Triom, 2006.

Geopuntura Lithopuntura 18 ações ODS Agenda 2030

                                                       O que fazemos:

* Ações ODS 3, 4, 6, 7,10,11,12,13,14,15, 16 e 17 da  #Agenda2030 ONU.

* Adequar a salubridade no terreno antes de construir...

* Planejamento no projeto...

* Adequar os materiais construtivos...

* Mobilizar infraestrutura saudável...

* Promove equilíbrio biológico, conforto e bem-estar.

                 CAUSAS NOS SERES HUMANOS

Depressão, dores de cabeça, distúrbios do sono, brigas/discussões, obstrução a prosperidade, organismo não absorve vitaminas, nervosismo, bloqueio criativo, estagnação e dificuldade na atividade profissional, estresse, dificuldade de concentração, deposito de calcário no sistema circulatório, retenção de líquidos.

Geopuntura Lithopuntura OMS
Geopuntura Lithopuntura OMS

organização mundial da saúde

press to zoom
Geopuntura Lithopuntura OMS
Geopuntura Lithopuntura OMS

organização mundial da saúde

press to zoom
1/1

OMS (Organização Mundial da Saúde)  70% das doenças silenciosas são geradas pelo local enfermo, materiais mal utilizados na construção e tecnológias.

* O médico "trata a doença".

* O arquiteto geofísico trata a "causa da doença".

 

"A doença nos seres humanos também conhecida como “doenças silenciosas” pode iniciar pela (doença da terra)".

 "Lithopuntura " e sua eficiência. 

 “Destruam as cidades e conservem os campos, que as cidades ressurgirão. Destruam os campos e conservem as cidades, e estas sucumbirão”.

Abraham Lincoln

DELÍRIOS DE UMA CIVILIZAÇÃO

              Ana Maria Primavesi

"Você acreditaria que os seus problemas esta relacionado com, seu cansaço físico e mental e suas doenças, podem estar intimamente ligados a sua casa! 

Quer saber como? 

Faça uma análise do local com o arq.geofísico Welton Santos para saber como poderá solucionar esses problemas"

                              Consultoria/Projetos 

                Arquitetura & Biologia da Construção

        "Principios de Arquitetura  Saudável e Biológica em Projetos"

 

                                                 Welton Santos

                                               esp. arquiteto e geofísico

                                                  São Paulo - SP - Brasil